Arquivo da tag: sup surf

STAND UP PADDLE BOARD TIPS AND INFO

STAND UP PADDLE BOARD

TIPS AND INFO

10 THINGS I WISH I HAD KNOWN WHEN I STARTED!

1. Just how addictive it is.

2. Take a lesson – it will save you hours of frustration!

3. Just how good it makes you feel and how good it is for your body

4. Just how much the wife and kids loved it

5. Shorter isn’t better. Length equals glide and speed

6. Wider isn’t necessarily more stable. Board design plays the biggest part in stability

7. Save money – spend a bit more.

8. Seek good advice. The best advice comes form those with a vested interest in you making the right decision. Check out your local store and the brands they stock. It is a sure indicator of there commitment to the you and the sport.

9. Don’t skimp on your first paddle. It is easy to focus on the board and forget the most important tool of all – the paddle

10. Heat can destroy SUP gear.

Check out our PDF guide to looking after your equipment –  BPS BOARD sup care.

SUP SAFETY

  • NEVER go out in off-shore winds!
  • ALWAYS start your paddle going into the wind
  • Always take a lesson before heading out into the Ocean
  • ALWAYS wear a leg rope (the board can get away from you VERY quickly)
  • Flat water paddling is EASIER than it looks
  • SUP surfing is HARDER than it looks
  • Always let someone now where you are going and when you expect to return
  • Be aware if carrying your board on your shoulders – it can easily get blown out of your hands

Get advice on paddle length and board size – it will  make a world of difference to your enjoyment of the sport!

thank’s for the article to

http://www.paddlesurfing.com.au

www.surfcamppipa.com

Anúncios

stand up paddle and sup surf

Stand up paddle: esporte da moda nas praias e lagoas ganha mais adeptos

Descubra mais sobre o SUP, esporte que consiste na remada em pé em cima da prancha de surfe e tem o veterano Rico de Souza como precursor no país

Por Patricia PalharesRio de Janeiro

Simples assim: uma prancha, um remo e a natureza. Basta remar em pé em cima de um pranchão que você já está praticando o stand up paddle, também conhecido como SUP. Mas é só isso mesmo? Tão simples assim? Quem pratica o SUP sabe que ele vai muito além de uma prática esportiva, ele é um estilo de vida a ser seguido. Confira, no vídeo ao lado, dicas do EU ATLETA de como se posicionar na prancha, ficar de pé e remar de maneira correta. O stand up paddle é uma mistura de lazer com qualidade de vida e, principalmente, a possibilidade de estar em contato com a natureza.

– O importante do stand up é você trabalhar os membros inferiores e superiores, adquirir hábitos saudáveis, curtir o mar, a lagoa e observar a natureza. No surfe e no SUP, nós temos a nossa maneira de comer, de se vestir, de conversar e de viver. Posso dizer que nós temos uma tribo bem diferenciada e que continua crescendo no Brasil – afirmou Rico de Souza, importante surfista brasileiro.

Rico de Souza euatleta (Foto: Divulgação)Rico de Souza trouxe o Stand Up Paddle para o Brasil e dá aulas no Rio de Janeiro para iniciantes (Foto: Divulgação)

Tudo começou nos anos 40, no Havaí. Instrutores remavam em pé sobre enormes pranchas de madeira com o intuito de acompanhar seus alunos durante as aulas de surfe. Não existia uma definição específica para esse tipo de prática, mas aos poucos cada vez mais surfistas começaram a praticar o SUP e a produzir os equipamentos necessários. O Brasil conheceu o esporte através de Rico de Souza, considerado uma das “lendas vivas” do surfe nacional.

– A primeira vez que eu vi o stand up paddle foi no Havaí. Eu vi a galera remando lá e por acaso eu era amigo do pessoal. Quando eu voltei ao Brasil, junto com o Eraldo Gueiros, resolvemos fazer uma prancha de stand up. Além de não ter o material necessário por aqui, só para shapear demorou três dias porque não conhecíamos o modelo direito – contou Rico.

Essa realidade, no entanto, mudou com o tempo. Além de ser tricampeão brasileiro de longboard e duas vezes vice-campeão mundial de longboard, Rico se tornou um empresário bem sucedido através de escolinhas e da produção de pranchas em todo o país. Mas não foi só para ele que tudo mudou. O Brasil se encantou aos poucos com o SUP, um esporte que atualmente conta com a Associação Brasileira de Stand Up Paddle (ABSUP), vários campeonatos espalhados pelo país e é a modalidade esportiva que está na moda. Você já tentou alguma vez? Deu vontade de praticar? Então confira mais dicas abaixo e busque uma vida mais saudável.

PRIMEIRO PASSO

Antes de comprar uma prancha e um remo, faça uma aula com um instrutor e descubra qual é o melhor equipamento para a modalidade que deseja praticar. Pode parecer que não, mas o tamanho errado do remo, por exemplo, diminui a agilidade na hora de fazer o SUP e prejudica o desempenho. Para não errar, veja abaixo algumas dicas sobre os equipamentos necessários para praticar a modalidade.

info Stand Up Paddle euatleta (Foto: Editoria de Arte / EUATLETA.COM)

MODALIDADES

Stand Up euatleta (Foto: Divulgação Amazônia Tribal SUP)SUP Remada é a modalidade mais paricada no Brasil (Foto: Divulgação Amazônia Tribal SUP)

Com criatividade e experiência, é possível inventar diferentes formas de remar de pé em cima de uma prancha. O SUP Yoga é um exemplo disso, uma prática que está crescendo no Brasil e não é considerada uma modalidade do esporte. É uma boa opção para quem deseja fazer apenas por lazer. Mas, para quem deseja competir e se especializar no assunto, existem apenas duas modalidades oficiais:

– SUP Surf: também conhecida como SUP Wave, essa modalide consiste em descer as ondas em pé na prancha com o auxílio do remo. Pela sua dificuldade, ela possui menos praticantes no Brasil. Mas, por outro lado, existem brasileiros se destacando no cenário mundial, como Leco Salazar, que conquistou o último Campeonato Mundial, em dezembro de 2012.

– SUP Remada: essa modalidade é a que mais cresce em águas brasileiras. Além de ser mais fácil de se equilibrar na prancha, ela pode ser praticada em lagoas, rios e mares com águas calmas. Sua prática consiste em ficar de pé em cima da prancha e remar pequenas ou grandes distâncias. Ela possui várias categorias, como a SUP Race, que necessita de pranchas especiais para que o surfista possa remar a favor do vento e da correnteza.

ONDE PRATICAR

Belo Horizonte (Foto: Divulgação)Belo Horizonte: Lagoa dos Ingleses
Amazonia (Foto: Divulgação)Amazônia: Lago do Tarumã, Florestas Alagadas, Encontro das Águas e Rio Amazonas
Florianópolis (Foto: Divulgação)Florianópolis: Lagoa da Conceição
rio de janeiro (Foto: Divulgação)Rio de Janeiro: Lagoa Rodrigo de Freitas, Praia de Copacabana (próximo ao forte), Praia do Leblon, Recreio, Canal da Barra da Tijuca e Praia da Macumba

PROVAS

“Battle of the Paddle”, esse é o nome da maior competição de SUP do mundo. Segundo Rico, em breve, ela estará no Brasil onde reunirá cerca de 1,5 mil remadores profissionais. Outro exemplo importante é o Campeonato Brasileiro de SUP Wave, que no ano passado superou as expectativas dos organizadores. Durante os dias 19 e 22 de outubro, por meio de uma transmissão ao vivo pela internet, os atletas brasileiros se destacaram.

Para quem está começando, existem diversas provas espalhadas pelo país. Um exemplo que além de esporte traz diversão é a prova CarnaSup. A última edição dela aconteceu no dia 9 de fevereiro, no Canto da Ilha Porchat, em São Vicente (SP). Foram mais de 120 participantes fantasiados em cima de suas pranchas com seus remos.

Para quem deseja participar de uma competição, o EU ATLETA traz uma dica. Inscreva-se já para o Circuito Rei e Rainha do Mar, uma prova que trará o SUP Race como modalidade. São três categorias diferentes: a Fun Race com 2km, a Mid Race com 7km e a Top Race com 14km. A competição será no dia 3 de março, na praia do Leblon, e começa às 13h.

PAPO DE PROFISSIONAL

Nada como quem entende do assunto para dar algumas dicas aos iniciantes. O EU ATLETA juntou dois nomes de diferentes gerações: Rico de Souza, tricampeão brasileiro de longboard e duas vezes vice-campeão mundial de longboard, e Leco Salazar, atual campeão mundial de SUP Wave. Filho de Picuruta Salazar, outro importante surfista brasileiro, Leco se destaca no SUP Wave desde 2010, quando se tornou campeão brasileiro.

– Pratico o stand up há três anos, mas comecei a surfar desde pequeno. Quando eu tinha apenas cinco, meu pai já me empurrava na prancha dele. Hoje, o SUP significa muita coisa na minha vida, pois conheço vários lugares e me sinto orgulhoso em fazer parte de todo esse crescimento e evolução do esporte – contou Leco.

LECO SALAZAR

Leco Salazar euatleta (Foto: Reprodução)

 

PRIMEIRO PASSO
Para ficar em pé na prancha, ajoelhe e, com as mãos apoiadas, coloque os dois pés ao mesmo tempo, um ao lado do outro. Nunca solte o remo para levantar.

A REMADA
Na remada, uma das mãos deve segurar a cabeça do remo e a outra o meio. Quando inverter o lado da remada, troque a posição das mãos. Não há regras para o número de remadas de cada lado.

EQUILÍBRIO
Olhe sempre para o horizonte para facilitar o equilíbrio. Quando sentir que entrou na onda, coloque o peso do corpo no pé de trás, para não correr o risco de embicar (mergulhar o bico da prancha na água).

 

RICO DE SOUZA


A PRANCHA

A escolha da prancha é a principal dica para quem está começando. Você precisa de uma pessoa para te orientar, porque a prancha muda conforme o seu peso. A flutuação tem que ser exata para o seu corpo.

O REMO
Outra escolha fundamental. Normalmente você compra ele e usa a oito polegadas acima da sua cabeça. O remo é como se fosse um braço, uma extensão do seu corpo, por isso o tamanho certo é muito importante.

ALONGAMENTO

O SUP é um esporte completo, ele trabalha a parte inferior e superior do corpo. É sempre bom fazer um alongamento antes de praticar para não se machucar. Quando você faz o movimento errado, toda a força vai para a sua coluna, o que pode causar dores e lesões.

Rico de Souza euatleta (Foto: Patricia Palhares / EUATLETA.COM)
Leco Salazar euatleta (Foto: Reprodução)Leco Salazar foi campeão mundial de SUP Wave em 2012 (Foto: Divulgação)

* Agradecimentos a Pablo Casado, fundador da Amazonia Tribal SUP

stand up paddle history

 

The History Of Stand Up Paddle

---------

The History Of Stand Up Paddle Boarding Starts With Our Genetic Code As animals go, we humans are the oddities in our jungle. Unlike most, we are designed to stand up and travel great distances on just two legs. Though our evolution is the subject of great debate, all human babies are born with an innate drive to stand up. Offer your index fingers to the hands of a tiny seated infant and the baby will grip hard, using your offered fingers to immediately push themselves upright on to their wobbly little feet. A human baby will progress from standing alone to walking and eventually running, usually by the second year of life. Stand up paddling gives us humans an amazingly efficient way to travel quickly across a body of water in our naturally favored position. Think about how excited and intrigued you were the first time you saw someone stand up paddling. Tap into your nomadic ancestry and you’ll understand how valuable it would have been for hunting and the discovery of safe, more verdant shores. It has a universal appeal. As humans, we are naturally inclined to move forward. We advance with our eyes first, scanning the horizon, arms helping to propel our bodies, all while effortlessly balancing on two feet. Modern stand up paddling is inherently recognized as a valuable skill by our inner prehistoric selves. Ancient Fisherman Lay the Groundwork caballitos de totora Standing up to fish and for transportFishermen all over the world have been standing solo in their small vessels for thousands of years. Chan Chan is ground zero of a rich and ancient Peruvian civilization. Bordered by fertile lands and an ocean that teemed with life, Chan Chan was once the largest city in South America. On its shore near the village of Huanchaco is a coveted surfing beach where caballitos de totora which translates to “little horses made of reed” are straddled and then surfed by the local fishermen. To aid in maneuvering the vessels into the waves, a split and hollowed length of bamboo serves as a double ended paddle. 3,000 year old shards of painted pottery depict the unchanged design of these same famously photogenic reed boats. It’s not hard to imagine young, virile fishermen showing off to their peers and potential mates by standing on a caballito and skillfully paddle surfing it to shore! Amazingly, caballito is a modern name for these handmade boats that predate the arrival of fifteenth century Spaniards and their horses by thousands of years. Italian GondolaFast forward to seventeenth century Venice, the magnificent Italian city that’s built almost entirely on the water. Eight to ten thousand gondoliers use long paddles to move their vessels through the crowded canals. Today, only about four hundred gondolas remain in service. They shuttle tourists and wedding parties through the beautiful city that remains steeped in mystery, romance and glorious water. The Hawaiians Pioneered Stand Up Paddling For Fun! duke kahanamoku stand up paddlingThe first standup paddle surfers to surf for the sheer joy of flying down the line on a board are believed to be Hawaiian. Ancient Hawaiian islanders survived with nature, not because of nature. They called themselves keiki o ka’aina, literally “children of the land”. The earth provided the islanders not only food and materials to build with, but a place of deep spiritual connection and playful recreation. Aina means “that which feeds”. The land, the sea and mankind were thought of as siblings born to the same parents at the beginning of time. As siblings of the sea, Hawai`ians of all ages and sexes enjoyed playing together in the waves. Maka ‘ainana is a term used to describe the common people, but it actually translates to “eyes of the earth”. Nature nourishes, and by custom, humans were to play with and protect their siblings, the land and the sea. Though Hawaiians have probably been standup paddle surfing for centuries, the earliest photographic evidence is only about 60 years old. Duke Kahanamoku, the most famous of the Waikiki beach boys, was said to use an outrigger paddle to help propel his heavy board into the velvety waves of Waikiki. John Zapotocky Stand up PaddlingTwo other Hawaiians beside Duke are often named as the first. Young John “Zap” Zapotocky, born in 1918 had moved to Oahu from the Mainland in 1940. After a few years of working at Pearl Harbor, the Dole Pineapple Cannery hired him as a machinist. A family man loved for his community involvement, Zap also became a dedicated waterman. There is a full feature on John Zapotocky in our Spring 2011 Issue. He was one of the few non-native Hawaiians to be named as an honorary Beachboy by his surfing brothers. Zap had admired how Duke and a few of the other Beachboys used a paddle to help themselves surf more effectively. In the 1940’s Zap began to include a canoe paddle in his own morning routine of surfing out at Waikiki. He didn’t stop using the paddle as he surfed for the next 60 years. Dorian “Doc” Pascowitz said at John Zapotocky’s memorial on 10/29/13. “Please remember that this, the biggest, greatest development in the sport of wave riding of the last 1,000 years is the result of the passion, the effort and the aloha of John “Zap” Zapotocky.’ John “Pops” Ah Choy was born in 1920 in ‘O’okala on the Big Island, but raised his own family on Oahu. Pops was an inventor, the father of six and one of the others most mentioned as the first to surf with a paddle. Pops constantly tinkered with homemade ideas. He created a board wagon that he (or one of his surfing sons) could use to easily haul 8 heavy boards weighing nearly 100 pounds each, from home to Kuhio beach. He also designed leg leashes, skateboards and a chair with suction cups which allowed him to fish while sitting on his board. As failing knees made it difficult for Pops to pop up on a surfboard, he began to carry a canoe paddle out to help him surf the waves. Standing between sets also greatly improved his vantage as a photographer. Taking photos of tourists was yet another skill Pops used to help feed his large family.

SURF CAMP PIPA HOSTEL BRASIL Passeio de stand up paddle sup na Lagoa Tibau Pipa

SUP CAMP PIPA HOSTEL BRASIL –
PASSEIOS E AULAS DE STAND UP PADDLE
stand up paddle  pipa brasil
stand up paddle pipa brasil
Passeio na Lagoa Guaraira  com suas águas calmas, é ideal para a pratica do Stand Up Paddle (SUP) e através de noções básicas oferecidas pelo nossos Istrutores , você pode aprender a remar em pé… e descobrir lugares incriveis que só esta região tem a oferecer.
Passeios e Instrução

SUP – BASICO: ALUGUEL COM AULA Perfeito para quem nunca praticou Stand UP Paddle ou quem quer fazer uma remada nas águas calmas da praia do Jabaquara. Esse passeio é para todos…crianças até a terceira idade.Dificuldade: fácil Tempo total de passeio:  1,30 h Saída: dependendo da marea Local:  Lagoa Guaraira – Rio Sibauma Incluído: equipamento, instruçãominimo 3 pessoas
aula stand up paddle praia da pipa
aula de sup praia da pipa

Mais conhecido como SUP, o Stand Up Paddle é um esporte aquático que consiste em remar em pé sob uma prancha. Praticado em águas calmas (lagoas, praias específicas), o esporte havaiano é a sensação do momento no Brasil e serve tanto para passeios, travessias de longa distância e todos os tipos de ondas. O Stand Up Paddle é uma prática saudável que trabalha todos os membros musculares, fortalecendo os músculos e melhorando o condicionamento físico, além de treinar o equilíbrio físico e mental. o aluno irá desenvolver melhor postura e equilíbrio, além de conhecer os equipamentos e aprender as técnicas fundamentais de remada e direcionamento da prancha. A Escola oferece, após o curso básico, aulas avançadas e direcionadas para o surfe com o Stand Up Paddle, e para grandes travessias, além de oferecer suporte para a compra de seu novo equipamento.